Nos últimos anos, o visto de estudante tem sido frequentemente usado como a opção para residir nos EUA. Não é incomum ouvir famílias que vendem todos os bens que possuem no Brasil, compram uma imóvel nos Estados Unidos e passam a residir neste país com o visto de estudante. Mas será que realmente este é o melhor caminho? Bom vamos primeiramente analisar a teoria geral sobre vistos.

Cada visto existente em legislação competente se baseia em determinadas situações. Por exemplo o visto P3 foi desenhado para receber temporamente artistas ou animadores com características culturais únicas. Quer dizer simplesmente que o visto P3 não foi elaborado com base em intenção de residencia permanente para pessoas que atuam no ramo alimentício por exemplo.
A princípio parece uma explicação bem simplória (e óbvia) mas geralmente o que ocorre é o uso de um visto para fim diverso daquele pelo qual o visto foi elaborado.
Em outras, a finalidade do visto de estudante não comporta intenção de residência permanente. Contudo, caso haja a possibilidade de enquadramento em outro visto (como o EB-5 ou EB-2 por exemplo) pode-se usar o visto de estudante como primeiro passo como aprendizado da língua inglesa e adaptação a nova cultura americana. Mas reenfatizando. Não se deve usar o visto de estudante como solução imigratória.
Facebooklinkedinmail